Segue-nos

Animais

Vídeo chocante mostra como vivem (e morrem) os coelhos usados por marcas de luxo

Publicado

em

Estas imagens, horríveis e nauseantes, mostram as terríveis condições a que os coelhos estão sujeitos, quando são criados para que lhes seja retirado o pelo para o fabrico de algumas marcas com linhas de roupa luxuosa em todo o mundo.

As filmagens foram feitas por um grupo de defesa de direitos animais que teve acesso a três quintas onde estes animais são mantidos, em França.

O vídeo mostra centenas de coelhos guardados em jaulas minúsculas, muitos deles com ferimentos graves e defeitos de nascença.

O vídeo foi feito pelo grupo de defesa de direitos animais, o L214, que afirma que as quintas usam o pelo destes animais para o fabrico de roupa de alta costura.

Os coelhos são, ali mesmo, procriados e acabam por nascer já nessas jaulas pequenas, sem nunca chegarem a ver a luz do dia! No vídeo, vê-se um desses coelhos, cego e a bater com a cabeça na pequena jaula de metal, sem parar…

Os coelhos passam, então, a vida inteira dentro dessas jaulas, o que provoca uma deficiência em termos do desenvolvimento das suas patas, causando-lhes ferimentos.

O vídeo mostra, também, ferimentos graves destes animais nas pernas e na cara, causados pelo facto de, muitos deles, estarem encavalitados em cima uns dos outros, acabando por causar ferimentos quando se movem.

O grupo de defesa de direitos animais L214 afirma, ainda, que um em cada quatro destes animais acaba por morrer antes de ser abatido.

Nas filmagens, pode confirmar-se a estatística: vê-se uma mãe a lamber o pelo do seu filho morto.

No vídeo vê-se também a impressionante imagem da preparação de um abate de coelhos para a preparação de casacos em pelo angorá.

Aparece um empregado da quinta a colocar a cabeça dos coelhos numa máquina, cortando-lhes depois a cabeça e retirando-lhes o pelo, enquanto os segura pelas patas, enquanto sangram.

Muitos coelhos continuam a bater com as patas, tentando fugir, quando as cabeças são colocadas nas máquinas, com um cinto.

Como acontece com maior parte dos animais, assim que a cabeça é cortada, os músculos e órgãos continuam a funcionar, alguns segundos depois da morte cerebral, o que não quer dizer que eles continuem a sentir dor.

Contudo, os coelhos continuam a pontapear depois de serem abatidos!

Dolce & Gabbana, Fendi e Dior são algumas das marcas que usam pelo de coelho nas suas peças de roupa. Contudo, não está comprovado que seja através dos coelhos destas quintas, em específico.

Confere o vídeo:

O Instituto Nacional de Investigação Agrícola prometeu, entretanto, iniciar um processo de investigação no espaço de 48 horas e, “se necessário, irá proceder às medidas corretivas que se aplicam em casos como este”, conforme explica ao Daily Mail.

Em declarações ao jornal inglês, o proprietário da quinta diz-se, em resposta à exposição do grupo de defesa de direitos animais L214, “muito admirado pela forma como o grupo interpreta as coisas”, acrescentando que esta raça, “os coelhos Orylag, são animais com uma certa sensibilidade, são bastante frágeis e que são-lhes dadas as melhores condições possíveis para que se reduzam os riscos de doenças e de mortalidade. Estes coelhos não são animais de estimação, têm características muito próprias. Não podem ser colocados no exterior. Quando atingem uma certa idade, têm de ser colocados em jaulas individuais ou, caso contrário, lutam.”

Entretanto, a casa LVMH, que inclui as marcas Fendi e Dior foi contactada pelo Daily Mail para comentários. Até agora, não foi obtida qualquer resposta.

COMENTÁRIOS

Recomendamos




Recomendamos




TRENDING