Segue-nos

Animais

Pitbull é preso numa cela como troféu e quase morre à fome

O veterinário devia ter ajudado o TinTin, mas em vez disso deixou o cão dentro de uma jaula e nem sequer se preocupou em alimentá-lo…

Publicado

em

The Dodo

O TinTin tinha um lar em Bali, na Indonésia, mas quando adoeceu o seu dono levou-o ao veterinário e nunca mais o foi buscar.

O veterinário devia ter ajudado o TinTin, mas em vez disso deixou o cão dentro de uma jaula e nem sequer se preocupou em alimentá-lo. O director do Bali Dog Adoption and Rehabilitation Centre (BARC), Ebony Owens, suspeitava que o dono não tinha pago nada ao veterinário, e que foi por isso que ele não quis alimentar ou tomar conta do TinTin.

Em Agosto de 2016, Ebony recebeu uma mensagem no Facebook, de um homem local que tinha visto o TinTin muito magro no veterinário.

“Quando eu vi a foto do TinTin, soube logo que o BARC tinha de o ajudar. Tínhamos de actuar rapidamente porque ele já não tinha muito mais tempo. Nós não sabíamos o que se passava de errado com ele – tudo o que podíamos fazer era esperar”, contou Ebony ao The Dodo.

Ebony foi buscar o TinTin e levou-o a um veterinário diferente, onde a equipa veterinária rapidamente tratou dele e o alimentou. Também lhe fizeram vários testes ao sangue para descobrirem o que se passava com ele.

“Pensávamos que pelo estado dele, provavelmente ele teria uma insuficiência renal ou algo mais drástico, mas descobriu-se que ele tinha apenas um leve caso de parasitas no sangue carregado por carrapatos. O seu principal problema era a fome”, disse Ebony.

É possível que o TinTin já tivesse cheio de fome quando o primeiro dono o levou ao veterinário, mas apesar disso o veterinário não o ajudou.

Infelizmente a situação do TinTin está longe de ser a única.

Em Bali, raças ocidentais como os pitbulls são muitas vezes importadas para o país e mantidas como troféus ou símbolos de riqueza e poder. Mas estes “cães-troféu” raramente são bem tratados – eles são mantidos em jaulas ou presos com coleiras e mal são alimentados.

Passados 2 meses desde que foi salvo, o TinTin já está totalmente recuperado – ganhou o dobro do peso e finalmente pode aproveitar o que a vida tem para dar.

“Ele é um cão bastante activo, é por isso que ele adoro correr e brincar, e ele adora especialmente brincar ao apanha. Ele adoro receber atenção de todos. Tem 100% de confiança e fé nos humanos, mesmo depois de tudo aquilo que lhe fizeram”, contou Ebony.

Enquanto espera que alguém o adopte, o TinTin está a viver temporariamente numa casa que acolhe todos os cães resgatados pelo BARC.

Desde 2005 que te conto, todos os dias, as histórias mais frescas sobre música, famosos e redes sociais... Podes ajudar a melhorar este artigo, enviando um email para [email protected]

COMENTÁRIOS

Recomendamos




Recomendamos




TRENDING