Segue-nos

Famosos

Gio Rodrigues revela ter sido vítima de violência doméstica: “Pedia desculpa por tudo”

O estilista português procurou ajuda psicológica depois de terminar o namoro.

Publicado

em

Por

Gio Rodrigues revela ter sido vítima de violência doméstica: “Pedia desculpa por tudo”
TVI

Gio Rodrigues abriu o coração a Manuel Luís Goucha para recordar os tempos em que sofreu de violência doméstica. Antes do conhecido romance com Edna Santos, com quem quase trocou alianças, o estilista português viveu uma relação altamente tóxica.

“No princípio, uma pessoa não dá conta quando isso que acontece. Mais tarde, já havia uma crítica e desconfiança e depois as coisas começam a crescer de tal forma. Lembro-me que, na altura, a palavra que eu mais usava era desculpa. Pedia desculpa por tudo, porque não queria ser chamado à atenção”, começou por lembrar.

Sem adiantar a identidade da pessoa em questão, o designer de moda referiu que a sua profissão era motivo de grandes desconfianças por parte da companheira. “Eu sei que tenho uma profissão em que estou constantemente rodeado de mulheres bonitas e a pessoa que está ao meu lado, se não for uma mulher muito segura, acaba por sentir dúvidas”.

“Eu sou muito afetuoso, sou muito de toque e de abraço, mas acho que deixo as coisas bem delineadas. Passei a ser um alvo permanente de ciúme, que estava sempre em falha, tornava-se complicado porque eu começava a ter receio das minhas atitudes, de como me havia de vestir, se saísse à noite de como é que havia de me comportar”, continuou.

“A pessoa foi-me manipulando, mas acho que não tinha a noção disso. Eu acho que o que estava na cabeça dela era tanto a questão da proteção, como o medo de perder. E eu achava que a culpa era minha – ‘se calhar estou a dar confiança a mais, se calhar estou a olhar para a pessoa de forma sedutora…’ – e isso condicionava as minhas atitudes. Eu não era feliz daquela forma. Até que um dia dizemos basta”, rematou.

Gio Rodrigues frisou, por fim, que a violência de que foi alvo foi verbal e psicológica, o que deixa “marcas diferentes” da violência física.

Veja aqui.

TRENDING