Segue-nos

Animais

Gato perdido reencontra a dona 15 anos depois de desaparecer

Publicado

em

Há 3 semanas, Tori Takayesu recebeu uma chama do Abrigo da Maui Humane Society sobre o seu gato perdido, mas ela não fazia ideia do que eles estavam a falar.

«Foi tipo, que gato?» disse Takayesu ao The Dodo. «E eles disseram: nós temos o seu gato, e ele está bem, e nós estamos à espera que a senhora apareça por cá. Mas eu não tenho um gato há 15 anos».

Takayesu pensou que o abrigo tinha cometido um erro, e que alguém, o dono verdadeiro do gato, haveria eventualmente de aparecer. Mas ninguém apareceu, e o abrigo continuou a ligar para ela. Num fim-de-semana, um oficial de controlo animal visitou Takayesu na sua casa para a relembrar de que o gato continuava no abrigo à sua espera.

«Eles disseram que era um gato velho», disse Takayesu. «Eu estava preocupada de que ninguém o iria adoptar, e que ele fosse abatido ou outra coisa qualquer. Eu, na minha consciência, não queria isso, então decidi ir buscá-lo independentemente de quem ele fosse».

Quatro dias depois do primeiro telefonema por parte do abrigo, Takayesu foi buscar o gato misterioso. O pessoal do abrigo entregou o gato numa caixa própria para animais. Quando Takayesu abriu a caixa, teve uma grande surpresa.

«Eu abri a caixa, e foi como, oh meus Deus! Este é o meu gato. Foi de loucos».

O gato era afinal James,  que Takayesu e a sua família tinham há 15 anos atrás. Ele recebeu este nome em homenagem ao desenho animado preferido do seu filho, o comboio Thomas. James tinha vivido com a família em Kula, na Ilha Havaiana de Maui, e depois mudou-se para outra pare de Maui, Makawao, que dista a 10 Km de Kula.

«Ela esteve bem durante um mês em Makawao, ela tinha a mesma rotina,» diz Takayesu. «Ela vinha à noite, e durante o dia ela passeava. Depois reparamos que ele deixou de aparecer à noite. Nós fomos à procura dele, mas não conseguimos encontrá-lo.»

A família procurou-o durante um mês. Eles até voltaram a Kula, por pensarem que ele se teria desorientado e voltado para a antiga casa. Mas ele nunca mais apareceu. A família tinha anteriormente perdido um gato num ataque de um cão, assim eles pensaram o pior, e deixaram de procurar James.

Takayesu nunca pensou rever James 15 anos depois. Mas tal aconteceu, e tudo graças ao microchip, e nº de identificação tatuados na sua orelha direita.

«Ninguém espera que o seu animal de estimação desapareça, mas quando isso acontece, a identificação permanente faz toda a diferença em tê-los de volta a casa onde eles pertencem», disse Jerleen Bryant Directora do Maui Humane Society ao The Dodo.

James estava também em boa forma física, o que leva Takayesu a crer que alguém tomou conta dele, e que tenha pertencido a outra pessoa. Mas ela não tem maneira de saber o que aconteceu a James e ao seu outro dono.

Mais misterioso ainda é o facto de James ter sido descoberto perto de casa. «Eu não sei se ele estava a fazer o caminho de volta para casa e coincidiu ser aqui que o apanharam,» diz Takayesu. «É de loucos. Ela é um pequeno milagre.»

Independentemente do que tenha acontecido a James, Takayesu acha positivo o gato lembrar-se dela. «Ele só quer ser acariciado, é como se o tempo não tivesse passado,» diz Takayesu.

James também adora festas e estar aninhado no colo de Takayesu, da mesma maneira que fazia há 15 anos atrás.

«Ele ronrona e baba-se, portanto eu tenho a certeza que ele se lembra de mim», diz Takayesu.

Takayesu nunca mais teve um gato desde o desaparecimento de James, mas a sua família acolheu quatro pequenos pinshers.

Com medo que os cães o assustem, Takayesu só deixa James percorrer a casa quando os cães estão no pátio. «Eu tenho receio de o deixar sair,» dia Takayesu. «Eu vejo-o na janela a olhar lá para fora, e tenho a sensação de que ele quer ir para lá, mas estou muito hesitante acerca disso. Eu não quero que ele fuja, e não quero que nada lhe aconteça».

Para além de olhar para a rua, James adora dormir a sesta com a filha de Takayesu, e brincar na sua casa de gato.

Takayesu diz ainda, «ele é muito ágil para a sua idade, ele salta para o meu colo, estantes e janelas sem qualquer tipo de problema».

«Estou encantada por o ter de volta,» diz Takayesu.

«É como o pedaço de ti estar desaparecido, e de repente aparecer. Ele faz-me chorar».

Para ajudares a Maui Humane Society a salvar mais gatos como o James, e também cães, coelhos e outros animais, faz uma doação.

.

Apaixonado por rádio e redes sociais, trago-te todos os dias as histórias mais inspiradoras que encontro na web... Podes ajudar a melhorar este artigo, enviando um email para [email protected]

Recomendamos




Recomendamos




COMENTÁRIOS

TRENDING