Segue-nos

Famosos

Cláudio Ramos: “O meu pai achava que a minha orientação sexual era uma doença, e que podia contaminar os meus irmãos…”

“O dia que o meu pai partiu (…) foi uma sensação de alivio imensa”, garantiu o apresentador.

Publicado

em

SIC/Site

Esta quarta-feira, 27 de Fevereiro, Cláudio Ramos foi um dos convidados do programa “Júlia”, na SIC.

O comentador foi homenageado, uma vez que está a celebrar vinte anos de carreira na televisão.

Assim, e numa conversa intimista, o ‘vizinho’ de Cristina Ferreira falou sobre vários assuntos, nomeadamente a sua infância difícil e a relação conturbada com o pai:

“Eu acho que o meu pai não nasceu para ser pai”, começou por dizer, explicando de seguida: “Não nasceu, a minha mãe queria muito ter muitos filhos e o meu pai não nasceu para ser pai e as coisas correram-lhe mal nesse aspeto, não dominou. A frustração maior de não conseguir corresponder às expectativas daquilo que ele se calhar queria levava a fazer isto (violência) aos filhos e eu por ver tudo isto nunca consegui nutrir por ele um mais pequeno gesto de amor”, disse.

Sobre a morte do progenitor, em 2016, Cláudio recordou:

“O dia que o meu pai morreu, eu estava de resto a trabalhar, foi uma sensação de alivio imensa, de pensar «ai, deus me perdoe, graças a Deus», porque para já ele estava a sofrer com um cancro no pulmão, que lhe tinha sido diagnosticado há muito pouco tempo, e depois porque era uma alivio porque eu sabia que enquanto ele aqui estivesse os meus irmãos iriam estar sempre preocupados e pronto…”, garantiu.

Cláudio Ramos falou depois da sua orientação sexual e do facto do pai nunca ter aceitado:

” (…) Tinha discutido com ele, 15 dias antes [da sua morte], por causa da minha orientação sexual, ele achava que isto era uma doença. Como é que um homem tão esclarecido e inteligente, porque era mesmo inteligente, achava que isto era uma doença?”, revelou, continuando:

“Ele achava que isto era uma doença e que podia contaminar os meus irmãos, era assim a este nível… ele já andava doente e fraco mas ele tinha mas ele tinha um carácter muito severo”, afirmou.

Ainda assim, e para rematar o assunto, o apresentador garantiu que foi a educação e a união que o “salvou”

Confere abaixo o excerto da conversa:

Tenho 21 anos e sou formada em Comunicação. Apaixonada pelos media, acabei o curso e comecei a escrever aqui logo de seguida... Adoro rádio, televisão, música e sobretudo notícias... Todos os dias trago-te os destaques da vida dos famosos...

TRENDING