Segue-nos
PUBLICIDADE

País

Via Verde acusada de obrigar clientes a comprar identificador, quando bastava trocar a pilha

PUBLICIDADE

Publicado

em

A Via Verde está a ser acusada de obrigar os clientes a comprar um novo dispositivo identificador, de cada vez que a pilha acaba.

PUBLICIDADE

Vários clientes queixam-se de estarem a ser obrigado a comprar novos dispositivos da Via Verde, e há quem garanta, que ao contrário do que alega a empresa, é possível substituir a pilha dos identificadores, o que sai muito mais barato.

O testemunho do André Pereira, um cliente Via Verde, que viu o seu equipamento ficar sem bateria e precisou de a trocar, ficou viral.

“Vou eu todo contente à Via Verde em Fernão Magalhães relatar que o meu identificador ficou sem bateria (o que é normal ao fim de 7 anos) e que teria de substituir o equipamento.

Eu: Mas não dá para substituir a pilha?
Funcionária: Mas isso não leva pilha.
Eu: Leva sim pois já substitui muitas quando trabalhava numa empresa da especialidade (Onlybattery).
Funcionária: AH! Isso são as antigas, as novas não levam pilha.
Eu: Desculpe, mas levam e o tempo que durou é o período normal de vida de uma pilha de lítio.
Funcionária: Pois, mas não pode mudar a pilha, nem pode abrir o equipamento.
Eu: E então diga o que se pode fazer para resolver o problema?

PUBLICIDADE

Funcionária: (Resumindo) Ou compra um dispositivo novo ou aluga, caso contrário fica com o contrato rescindido por avaria do equipamento.
Eu: Mas o equipamento não está avariado, a pilha é que chegou ao fim de vida.
Funcionária: (após trocas de palavras com o tom a subir entre ambos) Mas se não quer comprar ou alugar só posso rescindir o contrato, não tenho outra hipótese.

Eu: Eu assumo a responsabilidade da substituição da pilha e se não funcionar compro um identificador novo. Com quem posso falar para resolver isto da melhor maneira?
Funcionária: Você não pode abrir o equipamento, nem o mesmo tem reparação.
Eu: (Já prestes a armar barulho dentro da loja) Você vai chamar alguém para resolver esta questão e exijo que não rescinda o contracto.
Lá chamou um dos técnicos e o mesmo veio com a mesma conversa a dizer que tinha um componente electrónico que ao fim de algum tempo o equipamento tinha de ser substituído. E que não dava para abrir pois danifica o mesmo.

Para que a minha situação tivesse outra resolução tive de preencher um documento em que me responsabilizo pela substituição da pilha sem prejuízo de contracto.

PUBLICIDADE

Resumindo: O equipamento fica sem bateria, vai-se ao local onde se adquiriu para dar assistência de forma apropriada, não só é recusada como também há tentativas de extorsão da empresa para que se compre/alugue, desnecessariamente um identificador NOVO fazendo com que se gaste 7€ por ano em aluguer ou 22€ em caso de aquisição quando por 5€ se fica com o problema resolvido por mais 7 anos.“

Fica a reportagem da RTP:

Apaixonado por rádio e redes sociais, trago-te todos os dias as histórias mais inspiradoras que encontro na web... Podes ajudar a melhorar este artigo, enviando um email para pedrolopes@hiper.fm

Clica para comentar

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

COMENTÁRIOS

TRENDING