Segue-nos

Famosos

Sofia Ribeiro explica porque “acolheu” as sobrinhas em sua casa: “Senti que era preciso agir…”

“O objetivo não é afastar as crianças de ninguém, é que elas tenham um lar”, confessou ainda…

Publicado

em

Por

Sofia Ribeiro explica porque “acolheu” as sobrinhas em sua casa: “Senti que era preciso agir…”
Reprodução | Instagram

Sofia Ribeiro recorreu às redes sociais neste domingo, 6 de agosto, para partilhar com os seguidores o momento de emoção que viveu com as duas sobrinhas, quando comunicou às duas meninas que iam viver agora para sua casa.

“Divido um amor tamanho que não me cabe no coração! Transborda e certo é que nunca lhes faltará. Por dentro, um turbilhão. Entre, o que tem que ser feito, amor, alegria e pânico!…Meu Deus!… Foram dois anos de corações apertados…dois anos de ginástica mental…chegados até aqui”, começava por confessar.

Recorde aqui: Sofia Ribeiro: “Daqui para a frente somos 3… Um amor que não me cabe no coração…”

Mais tarde, a atriz recorreu ao Instagram para explicar aos seguidores porque acolheu as duas meninas em sua casa: “Têm sido dias de muitas mudanças, tenho andado numa roda viva para receber as minhas princesas e organizar a minha vida e a vida delas”, começa por confessar.

“O que eu mais quero é que elas tenham paz… A vida não é um conto de fadas, e há famílias com muitos problemas, com sérios problemas, com problema disfuncionais, que apesar do amor que têm aos filhos, que é o caso, não têm capacidades, nem estrutura, a nível nenhum para cuidar dos seus filhos”, confessou a atriz, emocionada.

“Eu senti que era preciso agir. Não conseguiria lidar de outra forma. Resumindo: as minhas princesas têm pais, têm mais família, mas dadas as circunstancias familiares à volta, serem muito frágeis, depois de bastante tempo de avaliação, no sentido de perceber se havia uma possibilidade de as coisas se recomporem, compreendemos que não”, explica ainda a atriz.

“Para mim isto não é o ideal, eu olho para elas e vejo-me a mim. Também eu venho de uma história muito semelhante. O ideal é as crianças ficarem com os seus pais, e não sendo possível serem criadas condições felizes, saudáveis, para o melhor para elas”, confessa ainda Sofia Ribeiro.

“O objetivo não é afastar as crianças de ninguém, é que elas tenham um lar, referências, raízes, um caminho para andar e serem felizes”, completou.

Veja o vídeo em baixo:

COMENTÁRIOS

TRENDING