Vida

Salvou criança de ser raptada, e em vez de promovido, foi despedido

Dillon Reagan tem 32 anos, trabalhava na empresa norte-americana Home Depot, de Portland, Oregon, nos Estados Unidos, e foi despedido por ter, alegadamente, quebrado a política empresarial.

A questão é que, se de facto a quebrou, foi para salvar uma criança de ser raptada.

“Na altura, a única coisa que me ocorreu foi a segurança daquela criança”, explicou, em declarações ao site KGW.

Na empresa há 4 anos, não só não viu o ato heróico ser reconhecido, como ainda sofreu com ele consequências nefastas.

“Saí do shopping e estava uma senhora, em pânico, a gritar: ‘Ajudem-me, ele está a levar o meu filho!’.

Dillon chamou, de imediato, a polícia e, com a ajuda de um colega, seguiu a pé o suspeito de rapto até a polícia chegar. Depois de ter salvo a criança, e de ter prestado declarações na polícia, Dillon regressou à loja onde trabalhava e, qual não foi o seu espanto, quando o patrão lhe diz: ‘tomaste a atitude errada!’.

Um mês mais tarde, a empresa despede-o, alegando que Dillon tinha quebrado a política de segurança da empresa.

Contudo, a empresa, após alguma exposição mediática do caso, recuou com a decisão. Mas Dillon está seguro da sua posição: não quer voltar a trabalhar naquela empresa, depois da forma como foi tratado. E tu, o que farias?

Podes ver aqui a reportagem da NBC News.

COMENTÁRIOS

To Top