Segue-nos

Famosos

Plácido Domingo acusado de assédio sexual por 9 mulheres

O tenor espanhol já reagiu: “Acredito que todas as minhas relações foram sempre consensuais”

Publicado

em

Plácido Domingo / Instagram

Pelo menos nove mulheres acusam o cantor de ópera Plácido Domingo de assédio sexual, em casos que ocorreram entre 1980 e 2002, numa reportagem levada a cabo pela Associated Press, que falou com mais de 30 mulheres que se cruzaram com o artista profissionalmente ao longo de três décadas. Todas confirmam as histórias.

De acordo com a agência noticiosa internacional, as mulheres em causa são oito cantoras e uma bailarina que trabalharam com o cantor ao longo do período citado. De acordo com os testemunhos recolhidos, Plácido Domingo aproveitava a sua posição de poder dentro de companhias de ópera para pressionar as mulheres a manter relações sexuais sob a ameaça latente de as prejudicar profissionalmente.

Uma das mulheres acusou o cantor lírico de ter colocado a mão dentro da sua saia, enquanto outras três alegaram que forçou beijos, seja em camarins, quartos de hotel ou almoços de trabalho.

“Alguém estar a tentar a segurar-te a mão durante um almoço de trabalho é estranho — e pôr a mão no teu joelho é um pouco estranho. Ele estava sempre a tocar-me de qualquer maneira, sempre aos beijos”, acusou uma das mulheres.

Para além das nove profissionais, outras seis mulheres falaram em abordagens sugestivas por parte de Plácido Domingo que as deixou desconfortáveis. A Associated Press indica que as alegadas vítimas eram bailarinas, músicas de orquestra, membros do staff do cantor, professoras de canto e uma administradora.

Através de comunicado, o tenor, um dos cantores de ópera mais conhecidos do mundo, reagiu às acusações dizendo que “as alegações destas pessoas anónimas, que remontam a situações com mais de 30 anos, são profundamente graves e, tal como foram apresentadas, imprecisas”.

O artista de 78 anos de idade recusou-se, porém, a comentar casos específicos: “Não deixa de ser doloroso de ouvir que posso ter perturbado alguém, ou feito alguém sentir-se desconfortável – não interessa há quanto tempo e apesar das minhas melhores intenções”.

No mesmo comunicado, Plácido Domingo deixa declarações um pouco ambíguas, porque, embora não aceite as acusações não deixa de as admitir nas entrelinhas: “Acredito que todas as minhas interações e relações foram sempre bem recebidas e consensuais”, diz, para, logo a seguir reconhecer que as coisas hoje em dia são muito diferentes do que eram no passado: “Reconheço que as regras e os padrões pelos quais nos regemos – e nos devemos reger – hoje em dia são muito diferentes do que eram no passado”, admitiu.

É mais um caso de assédio sexual a envolver um nome famoso no mundo inteiro.

Sou jornalista desde sempre, diria. Comecei na rádio, no tempo em que ‘explodiram’ as rádios locais. Mais tarde, o ‘bichinho’ do jornalismo regressou e eu voltei, desta vez para as revistas. Trabalhei 11 anos na Media Capital, na revista Lux. Gosto de artistas: actores, actrizes, cantores, gente da televisão… E gosto de escrever sobre eles, de conhecer o seu outro lado. Sou jornalista de formação, tenho a Carteira de Jornalista desde 1993 e isto é o que faço e farei. Para o resto da vida. Provavelmente.

COMENTÁRIOS

Recomendamos




Recomendamos




TRENDING