Segue-nos
PUBLICIDADE

Famosos

“Pipoca Mais Doce” fala sobre “barracada” na TAP e revela o que mais a incomoda: “É o que me consome…”

“A intrujice é uma cena transversal, mas porra, tem sido demais…”, desabafou a influenciadora…

Publicado

em

Por

“Pipoca Mais Doce” fala sobre “barracada” na TAP e revela o que mais a incomoda: “É o que me consome…”
Reprodução | Instagram

Ana Garcia Martins tem estado atenta à polémica que se gerou em torno de Alexandra Reis, que se demitiu após a “onda de críticas” que se levantou depois de ter saído da TAP com meio milhão de euros de indemnização.

Na noite desta quarta-feira, 28 de dezembro, o ministro Pedro Nuno Santos acabou por se demitir, assumindo assim as responsabilidades políticas do caso.

PUBLICIDADE

A “Pipoca Mais Doce” recorreu às redes sociais para partilhar uma reflexão sobre o tema, e acabou por ser amplamente elogiada na sua análise: “Esta barracada que se está a passar na TAP é um embaraço do princípio ao fim (só para não dizer “uma vergonha de todo o tamanho”), mas há aqui duas coisas que me preocupam”, começa por escrever.

A influenciadora elogia depois o papel da comunicação social, que “desenterrou” o caso, e explicou: “Acharem que o jornalismo em Portugal morreu e que já ninguém faz trabalho de investigação. Do género “podemos fazer o que quisermos, à socapa, porque nunca ninguém vai descobrir”. Problema: às vezes descobrem. Neste caso, em específico, foi o Correio da Manhã que deu a notícia que, até ver, já levou à queda de uma Secretária de Estado e de um ministro“, começa por explicar.

Mais à frente no texto, Ana Garcia Martins explica o que mais a incomoda neste e noutros casos similares: “Que nos tomem a todos por estúpidos. E isto é o que me consome mesmo a sério. Este sentimento de impunidade generalizado que grassa no sistema político, esta coisa do chico-espertismo, este sacudir a água do capote quando há merda”, pode ler-se ainda.

PUBLICIDADE

“E, meus amigos, isto não tem a ver com cores políticas, porque a intrujice é uma cena transversal, mas porra, tem sido demais. Enfim. “Habituem-se”, não é?”, termina.

Veja aqui:

TRENDING