Segue-nos
PUBLICIDADE

Animais

Foi passear o cão e encontrou pão com pregos num parque em Lisboa

PUBLICIDADE

Publicado

em

O dono de um cão, que o costuma passear num parque público da Ajuda, em Lisboa, foi surpreendido ao encontrar vários pedaços de pão com pregos de sapateiro estrategicamente colocados para que os animais os engulam.

PUBLICIDADE

O alerta foi publicado no Facebook acompanhado de várias fotografias que mostram a “armadilha”.

Segundo o autor, o post tem por objetivo alertar os donos dos animais para prevenir futuras situações deste tipo

A publicação, feita numa página criada pelo dono para o animal, e intitulada “Pó d’Arroz”, já tem mais de 15.000 partilhas e vários milhares de interacções.

O autor lembra que este tipo de armadilha “pode colocar em risco tanto animais como crianças”, e que pretende alertar o maior número de pessoas para situações destas, “que podem ter transformar uma rotina normal de segunda-feira num verdadeiro pesadelo com resultados inimagináveis”.

PUBLICIDADE

Fica o post, e o texto completo:

Carta aberta a quem não tem cão (e aviso a quem tem):

(Partilhem por favor) – English version at the end.

PUBLICIDADE

Talvez não devesse direcionar a todas as pessoas que não tem cão mas, como irão perceber, o motivo pelo qual escrevo é precisamente uma situação que ameaça todos os cães e não uma certa raça ou somente “alguns donos”:

Hoje pelas 7:00 da manhã saí de casa e comecei o dia com a rotina normal à qual o meu cão Pó D’Arroz, um Weimaraner de 2 anos e meio, está habituado.

Ao chegar ao parque solto-o e entro no café para pedir o pequeno almoço, levar para o jardim e comer enquanto o meu cão explora e decide onde fazer os seus xixis.
Um pequeno parque onde não há vivalma até às 9:00 da manhã na zona da Ajuda em Lisboa.

Desde pequeno que o Pó D’Arroz ouve e aprende que não pode comer coisas do chão. Tarefa difícil visto que por vezes se encontram sandes mistas ainda embaladas, bananas, sandes de carne assada, lasanha, pão para pombos e batatas fritas em cada canto da cidade de Lisboa.
Ora, para um cão, na altura de decidir se comer ou não algo do chão, pesa os prós e contras com base em situações passadas – 80% das vezes consigo que por vontade própria ele ignore o presente deixado pelo miúdo que não gostou da lancheira que a mãe preparou, ou as oferendas de pão seco que algumas senhoras gostam de deixar aos pombos;
Os restantes 20% são situações nas quais tenho que intervir e lembrar que não se pode comer “porcarias” do chão.

Quando cheguei ao parque vi o meu cão e pousei o pequeno almoço na mesa para comer quando vejo ao longe o que me parece o tal pão cortadinho e preparado para os pombos.
Aproximo-me e qual não é a minha surpresa quando percebo que tal pão foi colocado especificamente para os cães que ali passam (imagino por alguém que não tem cão)

PUBLICIDADE

Em cada pedaço de pão estavam cravados 3 pregos pretos de sapateiro, novinhos em folha e cuidadosamente escondidos para em menos de 2 segundos acabarem dentro do intestino de algum cão que em vez de 80% de controlo em situações semelhantes tem apenas 75%.

Após uma situação do género passa-me pela cabeça culpar a Câmara Municipal ou a junta de freguesia por não manterem as ruas limpas deste tipo de perigos, mas por outro lado penso: que culpa terão eles quando um maluco vai propositadamente ao parque colocar “minas” a meio da noite?

Por hoje peguei no pão todo e fui direito ao lixo, mas o que acontecerá amanhã se não for ao parque a essa hora e alguém passear o cão antes?
Ou será que tal situação se vai tornar preocupante apenas quando duas crianças estiverem a brincar e, ao ver tal pão seco e crocante no chão do jardim o metam na boca?

Escrevo esta carta como tentativa de chegar ao máximo numero de pessoas e alertar para situações deste género que podiam ter transformado a rotina normal de segunda feira num verdadeiro pesadelo com resultados inimagináveis.

PUBLICIDADE

Bem sei que 99% das pessoas sem cão nunca fariam tal coisa, mas também sei que 99% dos cães não teriam força para recusar um pedaço de pão oferecido na rua.

Lisboa, 22 de Janeiro, 2018

João, Mariana e Pó.

Apaixonado por rádio e redes sociais, trago-te todos os dias as histórias mais inspiradoras que encontro na web... Podes ajudar a melhorar este artigo, enviando um email para pedrolopes@hiper.fm

Clica para comentar

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

COMENTÁRIOS

TRENDING