Animais

Mulher adota pitbull quase cega, surda, e prester a morrer, para lhe dar o amor que nunca teve

Só de se olhar para ela, consegue perceber-se que esta pobre cadela não teve sorte na vida… Com um corpo magrinho, orelhas encolhidas e um pêlo pouco vistoso, é fácil perceber o seu estado débil.

Poucos meses depois de ter chegado ao abrigo para animais em risco, o LifeLine Animal Project Shelter em Atlanta, nos Estados Unidos, o veredicto final do veterinário foi o pior que se podia imaginar: Grandma Dot sofre de um cancro em fase terminal.

Muitos, provavelmente, optariam por abater a pobre pit-bull que está no abrigo desde o passado mês de fevereiro. Mas este abrigo vai mais longe, tentando encontrar alguém capaz de proporcionar-lhe alguns momentos finais de alegria e amor. O abrigo ficaria encarregue de pagar as despesas médicas e os medicamentos, em troca de algum amor e carinho.

“Ela é tão carinhosa e dá-nos tanto amor que gostaríamos que ela própria também sentisse amor por ela…”, refere Karen Hirsch, a porta-voz do abrigo ao site The Dodo.

No início de julho, quando Jessica Miller estava a completar o período de voluntariado no abrigo, deu uma última volta pelos animais… “Demos uma última volta e parámos precisamente na cela da Grandma Dot”, refere Jessica Miller.

A pessoa que estava a fazer a visita guiada referiu a vida difícil da pobre pit bull e o estado débil em que se encontrava, explicando que estavam a tentar encontrar um lar onde pudesse morrer em paz e amada…

“Eles sabiam que ela não tinha muito tempo de vida e, portanto, estavam desesperados à procura de um lar onde pudesse passar o tempo que lhe restava com alguma qualidade”, acrescenta. “Foi aí que senti que teria de ser eu essa pessoa!”, finaliza.

A pit bull Grandma Dot foi para casa de Jessica a 8 de julho, depois de anos a ser negligenciada e depois dos últimos meses em sofrimento no abrigo para animais.

A Grandma Dot está a adorar sua nova vida e a sentir o tal amor que tantos para ela desejavam… Doida por carros, esta cadela pode passar horas a andar de um lado para o outro, desde que o ar condicionado esteja ligado… A Grandma Dot é, também, doida por guloseimas, o que Jessica Miller acha hilariante! “ela adora gelados e torce o nariz a fruta, por exemplo. É tão engraçado ver que fica histérica com os restos da minha comida e ver que há outras coisas que simplesmente não gosta…”, refere Jessica.

A pobre Grandma Dot vive rodeada de comprimidos – esteroides e anti-inflamatórios – e age como se nada fosse! Mas, devido à sua idade e ao seu estado de saúde geral, o cancro não pode ser tratado.
Jessica Miller não sabe quanto tempo mais vão poder desfrutar juntas, mas que não a vai ter para sempre e que vai ser muito difícil. Muitas vezes, Jessica agarra a Grandma Dot e chora, simplesmente… “O que me consola é ver que ela é uma cadela feliz com aquilo que lhe posso proporcionar”, explica Jessica. O objetivo do abrigo parece ter sido cumprido!

“É preciso apenas uma pessoa para mudar a vida de um animal. Neste caso, é a Jessica… Está a fazer um trabalho brilhante, ao dar a esta cadela a oportunidade de ser amada e acarinhada, pela primeira vez”, refere Karen Hirsch, porta-voz do abrigo. “Esta cadela vai poder morrer em paz e feliz, porque houve alguém que se preocupou com ela…”, finaliza.

COMENTÁRIOS

To Top