Segue-nos

Famosos

“Morreram… Todos”: José Rodrigues dos Santos reage: “Dei uma notícia verdadeira de forma direta e frontal…”

António José Teixeira, diretor de informação da RTP, também se pronunciou sobre a polémica abertura do Telejornal…

Publicado

em

“Morreram… Todos”: José Rodrigues dos Santos reage: “Dei uma notícia verdadeira de forma direta e frontal…”
Reprodução/Redes sociais

Duas semanas depois de abrir o Telejornal com o anúncio da morte dos cinco tripulantes do submersível Titan, no passado dia 22 de junho, José Rodrigues dos Santos reagiu às críticas e à polémica que se gerou nas redes sociais por ter introduzido o tema com as palavras “Morreram… Todos“.

Recorde aqui: José Rodrigues dos Santos alvo de críticas após abertura de Telejornal: “Morreram… Todos!”

No programa ‘Voz do Cidadão’, transmitido no dia 8 de julho, Ana Sousa Dias, provedora do Telespectador, deu conta das queixas sobre o jornalista que recebeu e questionou José Rodrigues dos Santos, que acabou por ‘quebrar o silêncio’ sobre o episódio.

Bom, o que eu basicamente dei foi uma notícia que é verdadeira de uma forma direta e frontal, aliás, eu vi algumas críticas que eram que eu tinha sido direto e frontal, ao que eu respondo ‘muito obrigado pelo elogio, porque esse é o meu trabalho’“, começou por dizer o jornalista, que acrescentou: “Quando nós damos notícias devemos ser curtos, incisivos, diretos e foi isso que eu fiz“.

Sobre a repercussão que a referida abertura do Telejornal ganhou nas redes sociais, José Rodrigues dos Santos explicou: “Isto criou um meme, as pessoas retiraram aquele pedacinho para dar força e, a partir daí, cria-se uma piada nas redes sociais com base numa coisa muito curta que é aquela frase curta, direta, incisiva, que eu faço sempre e desde que me ensinaram na BBC a fazer assim“.

No mesmo programa, António José Teixeira, diretor de informação da RTP, também se pronunciou sobre a polémica: “Essas duas palavras são a síntese do que aconteceu e a síntese da notícia. De facto, precisávamos de saber o que é que tinha acontecido com aquelas pessoas. Todas morreram. É difícil encontrar duas palavras que transmitam tão diretamente o resultado daquela aventura que foi fatídica. Podemos discutir não as palavras, porque as palavras são rigorosíssimas, podemos discutir se o tom é certo ou não. Mas essa matéria julgo que já tem uma carga de subjetividade que se liga muito também às personalidades que estão em causa, nomeadamente os pivots que apresentam as notícias“, afirmou.

Cada um tem o seu tom“, referiu António José Teixeira, que considerou sobre José Rodrigues dos Santos: “Tem o seu tom próprio, não é de esta semana nem da semana passada, é uma maneira de estar em televisão e de falar que lhe é própria. Eu diria que ele não foi diferente do que foi outras vezes, eu não estou a dizer que foi de elogiar ou de condenar, foi ele próprio e não parece ter sido diferente sendo certo que a diferença aí talvez tenha porventura desagradado algumas pessoas de estar a falar de morte e de uma situação em que morreram todas as pessoas em causa. Não é uma notícia propriamente muito simpática que se dê com um sorriso nos lábios, mas é uma notícia que completa um dramatismo e que aconteceu naquele momento. Não foi o reporte de uma história que começou no início do dia, foi às 8 da noite que houve, de facto, essa confirmação“.

Veja aqui aos 10:00 minutos.

Licenciado em Comunicação e Media e Mestre em Jornalismo e Comunicação, escrevo sobre televisão, reality shows, famosos e entretenimento...

COMENTÁRIOS

TRENDING