Animais

Ele faz milhares de quilómetros para dar água a animais selvagens no Quénia

Numa terra tão seca como o Tsavo West National Park, no Quénia, nenhum visitante chega com mais fanfarra do que o “homem da água”, que se chama Patrick Kilonzo Mwalua.

E quando ele vem estrada abaixo, com cerca de 3.000 litros de água doce, os elefantes, búfalos, antílopes e zebras correm atrás dele.

“Não há nenhuma água. E assim os animais estão a depender dos seres humanos,” disse Mwalua ao The Dodo. “Se não os ajudarmos, eles morrerão.”

Mwalua preenche os buracos de rega na região, conduzindo o camião durante várias horas ,todos os dias, para transportar a água para onde ela é mais necessária.

Muitos animais nem sequer esperam, e ficam à volta do camião enquanto Mwalua abre a torneira.

“Ontem à noite encontrei 500 búfalos à espera no buraco da água. Eles começaram a beber água enquanto eu ainda lá estava. Ficam tão excitados.”

Mwalua, que é um agricultor,  teve a ideia de transportar água para os animais, depois de ver em primeira mão a mudança de clima na sua terra natal. No ano passado, especialmente, diz ele, “a área tem visto pouca precipitação, deixando os animais a morrer de sede”.

“Nós não estamos a ter a chuva da maneira que costumávamos”, diz ele. “No ano passado, a partir de junho, não houve chuva.Então comecei a dar água aos animais porque eu pensei: ‘Se eu não fizer isso, eles vão morrer'”.

Entre as viagens rodoviárias e a agricultura, Mwalua administra ainda um projeto de conservação chamado Tsavo Volunteers. O homem de 41 anos de idade também visita as escolas locais para conversar com as crianças sobre a vida selvagem.

“Eu nasci por aqui, e cresci com a vida selvagem, e tenho muita paixão por isto. Decidi trazer à consciência este assunto, e quero que quando eles cresçam, possam proteger também os animais selvagens.”

No ano passado, Mwalua começou a alugar um camião, e a levar água para vários locais em Tsavo West. A sua missão estender-se-ia a vários camiões, mantendo-o na estrada por horas diárias.

“O camião é pesado, e não vai muito rápido. Temos que ser muito pacientes para ir entregar a água.”

Mas Mwalua não está sozinho. A sua missão estendeu-se até aos Estados Unidos, de onde lhe chega ajuda preciosa.

“Visitei o Quénia em dezembro de 2015, e embora eu não conhecesse Patrick na época, a situação dos animais impressionou-me”, disse Angie Brown, que vive no Connecticut, ao The Dodo.

Quando ela ouviu falar sobre a seca mais recente, Brown ligou-se no Facebook com Cher Callaway e Tami Calliope. As três  decidiram que tinham que ajudar.

Cher criou uma página no GoFundMe, que até agora a angariar dinheiro de pessoas em todo o mundo, para que Mwalua continue a dar água a todos os animais.

“Todos nós passamos muito tempo a passar a palavra sobre os animais que Patrick está a ajudar, e o GoFundMe tem sido um verdadeiro sucesso”, diz Brown. -Mas ele precisa de muito mais dinheiro.

 

COMENTÁRIOS

To Top