Segue-nos
PUBLICIDADE

Famosos

Miguel Araújo recorda problemas de saúde: “Tomava 12 comprimidos por dia”

PUBLICIDADE

O músico sofre de alergias que quase o fizeram desistir de cantar

Publicado

em

Miguel Araújo / Instagram

No Dia Mundial da Alergias -que se assinalou a 8 de julho – Miguel Araújo recorda esse problema de saúde que lhe retirou qualidade de vida.

PUBLICIDADE

“Tomava 12 comprimidos por dia”, conta o músico que partilhou um longo texto no Instagram, esta segunda-feira, onde falou sobre essa fase complicada da sua vida.

“Dia Mundial da Alergia! Estou com todos vocês, irmãs e irmãos sempre à rasca com rinites, sinusites, etc. Fez agora em maio passado 3 anos que eu nunca mais toquei em anti-histamínicos, antipiréticos, anti-inflamatórios, antibióticos, cortisonas, corticoides e afins”, começou por escrever Miguel Araújo nas redes sociais, antes de recordar a fase mais difícil devido a este problema.

“No auge das minhas crises (2015/2016), tomava (por prescrição médica, obviamente) 12 comprimidos por dia. 7 só ao pequeno almoço. Passados 8 meses custava-me tomar banho, cansava-me levantar os braços para lavar a cabeça. Tinha vindo de uma série de 14 antibióticos seguidos”, continuou.

Até que, a dada altura, Miguel Araújo resolveu recorrer a uma terapêutica alternativa que lhe devolveu a saúde, numa altura em que já pensava em desistir de cantar.

PUBLICIDADE

“Ouvi falar em ‘Medicina Integrativa’ e lá fui eu. Desde essa altura (maio de 2016) nunca mais toquei em laticínios. Passou-me tudo e não fico doente com nada há mais de 3 anos. Claro que as coisas não são tão simples quanto isso, cada caso é um caso, e a dieta alimentar não foi a minha única mudança. Não sou médico, cientista, estatístico, nem nada disso. Sou um simples cantor que esteve quase a desistir da profissão. Escrevo este post por ser o Dia Mundial da Alergia e por, graças a Deus, ter descoberto uma alternativa aos químicos todos que tomava diariamente há anos, alternativa essa que me devolveu a saúde, a profissão, e tudo de bom que daí vem. Não pretendo causar polémica, quem sou eu!”, concluiu o artista, deixando claro que para si esta mudança no estilo de vida só lhe trouxe benefícios.

Sou jornalista desde sempre, diria. Comecei na rádio, no tempo em que ‘explodiram’ as rádios locais. Mais tarde, o ‘bichinho’ do jornalismo regressou e eu voltei, desta vez para as revistas. Trabalhei 11 anos na Media Capital, na revista Lux. Gosto de artistas: actores, actrizes, cantores, gente da televisão… E gosto de escrever sobre eles, de conhecer o seu outro lado. Sou jornalista de formação, tenho a Carteira de Jornalista desde 1993 e isto é o que faço e farei. Para o resto da vida. Provavelmente.

Clica para comentar

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

COMENTÁRIOS

TRENDING