Segue-nos
PUBLICIDADE

Big Brother

Margarida Castro recorda relação em que sofreu violência doméstica: “Estava muito doente…”

Margarida Castro esteve no ‘Goucha’ e falou sobre o período em que foi vítima de violência doméstica…

Publicado

em

Margarida Castro recorda relação em que sofreu violência doméstica: “Estava muito doente…”
Reprodução/Redes sociais

Margarida Castro, concorrente expulsa do Big Brother 2024 na gala do passado domingo, marcou presença no programa ‘Goucha’ desta sexta-feira, dia 31 de maio, para uma conversa sobre a sua participação no reality show da TVI.

Durante a conversa com Manuel Luís Goucha, a ex-concorrente também recordou o período em que foi vítima de violência doméstica numa relação tóxica e abusiva, que contou quando partilhou a ‘Curva da Vida’.

Recorde aqui: Curva da Vida: Margarida Castro foi vítima de violência doméstica: “Tive sorte de não ter morrido…”

Eu sinto, depois de analisar muito bem isto e de ter feito muita terapia, que me apaixonei por uma pessoa que eu criei na minha cabeça porque, no final do dia, esta pessoa não existe“, começou por contar. “Nunca levei aquilo muito a sério porque é daquelas coisas que nunca pensamos que vai acontecer. Depois aquilo foi um escalar de situações“, disse sobre a primeira agressão que sofreu e os episódios de violência que se seguiram.

Depois de ter passado por esse episódio, Margarida aconselhou qualquer vítima a “sair logo” e revelou o motivo pelo qual decidiu a sua história de vida no Big Brother: “Para perceberem que não se pode perdoar porque eu sou o exemplo de uma pessoa que perdoou demais e que as coisas podiam ter corrido mal“. Ainda sobre a relação que viveu, a jovem admitiu: “É muito complicado quando se está nesse tipo de relação porque acabamos por ficar doentes. Eu estava muito doente mesmo e acreditava muito que a pessoa ia mudar“.

Na sequência de ter sido agredida, Margarida avançou com uma queixa: “Quando fiz queixa nunca pensei que ia ter a repercussão que tomou, nunca pensei que fosse assim. Eu quando fiz queixa não tinha a noção que era uma queixa que não podia ser retirada, que é um crime público, não tinha noção de nada disso. Eu fiz queixa quando houve as agressões que me deixaram com a cara totalmente marcada, já não tinha como esconder e estava muito exausta da situação“, justificou.

Eu já não tinha peso sequer para me movimentar, estava muito doente psicologicamente e sentia que aquilo já não era amor nem de um lado nem do outro. Estávamos muito doentes os dois e não havia como sair daquela situação, eu ia continuar a perdoar e ia continuar a haver agressões“, lembrou.

Neste período da sua vida, Margarida “estava muito afastada” da família, que era “contra a relação“: “Eles não confiavam e percebiam que era uma relação em que não estávamos bem“.

Como consequência, o ex-namorado de Margarida foi condenado pelas agressões: “Foi sentenciado a cinco anos e três meses de prisão efetiva, o que me tranquilizou muito porque a certo ponto pensei que não ia acontecer nada, porque acabei por mentir em tribunal e acabei por perdoar vezes demais. Ele pediu [para mentir] e eu também concordei com aquilo tudo, porque achava genuinamente que ele ia mudar. Eu gostava muito dele, acho que era mais uma obsessão, uma doença, uma dependência emocional. Ele foi sentenciado por dois crimes, não foi só pelo meu, também foi com outra mulher. Eu pensei que o problema não era meu e vim a perceber que não“.

Veja os vídeos aqui e aqui.

TRENDING