Segue-nos
PUBLICIDADE

Famosos

Marco Costa partilha texto viral com críticas a António Costa: “Foi o Sr. e os seus lacaios quem falhou”

PUBLICIDADE

Marco Costa partilhou um texto com o qual se identificou e onde são apontadas várias críticas ao Primeiro-ministro…

Publicado

em

Marco Costa/Instagram

Marco Costa recorreu esta quarta-feira, 20 de janeiro, à sua conta de Facebook para partilhar um texto que, não sendo da sua autoria, exprime aquilo que pensa.

PUBLICIDADE

As palavras surgem de um dos muitos profissionais que foram “atingidos” com a pandemia da Covid-19 e que decidiu mostrar a sua revolta com o Primeiro-ministro António Costa, que falou ao país na passada segunda-feira (18), anunciando um reforço de medidas para o novo confinamento em Portugal, que entrou em vigor em Portugal no passado dia 15 de janeiro.

“E é isto!!”, escreveu Marco Costa, antes de partilhar as seguintes palavras:

“Se me dão licença 🙌  Não Sr. António Costa, o senhor não tem essa consciência. Não tem a consciência de vir falar à nação com 7 pedras na mão, apontando dedo aos portugueses de falharem. Quando na realidade foi o Sr. e os seus lacaios quem falhou”, lê-se.

No texto, são então destacadas as medidas de António Costa no início da pandemia, em março de 2020, elogiadas pelo autor:

PUBLICIDADE

“Dia 16 de Março entramos no primeiro estado de emergência na incerteza do que este vírus seria. Não tínhamos respostas nem estudos suficientes sobre a matéria e aí até teve o meu apoio”.

Foram depois deixadas algumas críticas ao Governo e à sua capacidade de tomar decisões a partir de então:

“Em maio do ano passado, e após sucessivas reuniões no Infarmed e múltiplos conselhos de ministros, o Senhor sabia da probabilidade da 2a e 3a vaga devido ao tempo seco e ao frio. Contudo o senhor em Julho e Agosto quis ir de férias. Não preparou a sua nação. Pelo contrário, assistimos ao cancelamento de festivais onde centenas de pessoas trabalham mas vimos ser realizadas as comemorações do 1o de Maio e festa do Avante. Sabe aquela festa onde quem lá está a trabalhar está a fazê-lo de borla, e que em nada reforçou a nossa economia”, lê-se.

PUBLICIDADE

“…Não pensou que haviam empresas até à data ainda à espera do lay-off simplificado desde Abril. Que haviam trabalhadores independentes de vários setores que os seus pedidos de apoio à redução de atividade ainda nem tinham sido aprovados logo nem dinheiro tinham para pagar os impostos. O senhor não quis saber da economia nem tão pouco dos seus portugueses. Sim aqueles a quem você deu ontem raspanetes e ainda os condena por saturar o SNS. Sabe, aquele mesmo SNS que há anos carece de restruturação”.

O autor do texto, que conta já com centenas de partilhas no Facebook, destacou que “a culpa” do que está a acontecer neste momento em Portugal “não é nossa” e são depois apontadas outras tantas falhas do Primeiro-ministro:

“O Senhor que ontem tão bem disse que o importante é salvar vidas, não referiu que todos os dias morrem em Portugal aproximadamente 500 pessoas e que “só” cerca de 140 são vítimas da Covid-19. Onde está a importância das outras 360 Sr. Primeiro Ministro? Sabe do que faleceram? Provavelmente suicídio porque já não aguentam mais a pressão, ou de cancro quando vêem os seus tratamentos, consultas e cirurgias a serem adiadas, de enfartes e AVC por falta de meios de rastreio, etc etc etc”.

“(…) Ganhe vergonha Sr. António Costa. Vir falar a um país inteiro que a culpa foi nossa quando em Novembro eu fechava as portas às 13h mas o Sr. permitia o PCP fazer um comício. Porque como o senhor diz, a lei não pode ser alterada nem suspensa, mas suspendeu as nossas. Suspendeu os nossos direitos. E não venha agora com a frase “Vamos ficar todos bem” que essa merda já não cola”.

No final, é deixada uma mensagem de apoio a todos as pessoas que se vêem “obrigadas” a fechar as portas dos seus estabelecimentos neste momento.

PUBLICIDADE

Leia aqui o texto na íntegra:

Adoro rádio, televisão, música e sobretudo notícias... Todos os dias trago-te os destaques da vida dos famosos...

COMENTÁRIOS

TRENDING