Familia

Mãe faz post depois de a filha ter ficado 17 dias com um amendoim preso num pulmão

A pequena Laura tem 1 ano e 8 meses, e apresentou dificuldades para respirar durante várias semanas, mas os médicos de quatro hospitais não acreditaram que o amendoim poderia ser o motivo do problema.

A jvoem mãe de Sorocaba, São Paulo, Brasil, fez um post no Facebook com um relato emocionado depois a filha de 1 ano e oito meses ter passado 17 dias com um amendoim preso no pulmão.

Na sua página no Facebook, Larissa Lopes contou o verdadeiro calvário que passou em sete hospitais até que, finalmente, o problema foi resolvido.

O post, de 23 de fevereiro, viralizou e já teve mais de 300 mil partilhas.

Gémeas imitam cena do filme «Frozen»

“Ela estava com o meu pai a comer amendoins quando se engasgou. Isto aconteceu em janeiro. Como eu não estava presente naquela hora, perguntei se ela tinha deitado tudo fora, e ele disse que sim. Fomos para São Paulo porque tínhamos um compromisso, mas no outro dia resolvi levar a Laura ao médico depois de ter ouvido um chiado no peito dela”, conta Larissa no post.

No texto a mãe relata que foi ao primeiro hospital, em São Paulo, onde não fizeram nenhum exame.

“Eles mandaram a Laura embora pouco tempo depois, mas de madrugada ela passou mal, e não conseguia respirar. Então, levámos Laura a outro hospital mais perto, mas a médica falou apenas em laringite aguda.”

Larissa afirma que procurou vários hospitais, já que a filha não apresentava melhoras, mas que o ápice aconteceu quando a filha teve uma crise muito grave.

“Ela ficou completamente roxa, e fomos a outros dois hospitais. Alguns médicos riram quando eu contei o caso do amendoim e pedi para investigarem. Depois de seis dias internadas, eles deram alta à minha filha.”

Sem resposta para as graves crises respiratórias da filha, Larissa foi a um hospital especializado em crianças, mas foi informada por um alergologista que o tratamento estava certo, e que “não tinha nada a ver com o amendoim”.

Ela voltou depois a Sorocaba.

“No dia 13 de fevereiro, a Laura teve outra crise de falta de ar, e nem ao hospital eu achei que ia chegar. Lá eles socorreram a minha filha, fizeram exames e mandaram para a fisioterapia. Quando eu falei do amendoim, foi a primeira vez que me levaram a sério e passaram a investigar.”

O hospital mandou realizar uma broncoscopia. “Fiquei à espera com o coração apertado e, depois de duas horas de procedimento, o médico saiu com o amendoim num frasquinho. Ele disse-me que ela teve complicações, e que quase foi impossível aspirar. Quando a Laura saiu na maca, vi-a entubada, e com drenos nos pulmões. Assim que entrei na UTI vi que era o pior dia da minha vida”, desabafou.

Apesar do choque ao ver como a filha estava debilitada, a menina recuperou rapidamente e foi para o quarto passados poucos dias. No post Larissa realça que decidiu partilhar a história da filha para alertar outras mães.

“Fiquem atentas com amendoim e pipocas. Não sou uma mãe chata, e dou de tudo para a minha filha, mas depois de tudo o que passámos, que sirva para todos saberem o que pode acontecer, porque nem os médicos entendem como ela ficou 17 dias com o amendoim no pulmão”.

To Top