Segue-nos

Famosos

Luís Jardim não foi contactado para “A Tua Cara Não Me é Estranha”

O músico admite que gostava de fazer o programa, mas diz estar bem substituído por Fernando Pereira

Publicado

em

Site / TVI

Luís Jardim era o presidente do júri de “A Tua Cara Não Me É Estranha” desde o primeiro programa apresentado por Cristina Ferreira, há cinco edições. Mas desta vez não é jurado do programa da TVI.

O músico revela que nem sequer foi contactado pela estação de Queluz, mas não entra em polémicas, admitindo apenas que gostava e voltar ao programa:

“Não me contactaram, mas também não têm de me contactar. Não fiquei triste, sou um homem que faz muitas cosias, adorei fazer. Houve uma mudança de estilo do programa e a razão para não me contactarem é essa. Eu não trabalho para a TVI, sou freelancer e contratado», dise, ao site da Impala.

O ex-jurado admite que tem uma boa relação com a TVI e que não vai fazer o formato porque o canal renovou todo o programa, desde os apresentadores aos jurados. “Gostava de fazer o programa, estas mudanças são normais. Espero que tenham muita sorte com esta equipa, não estou preocupado», garante.

Luís Jardim diz mesmo que foi muito bem substituído por Fernando Pereira.

“Se alguém merece estar no programa é ele. Fernando Pereira e ‘a voz’ de Portugal. Até andei a sugerir o nome dele para o programa. Portanto ainda bem que foi escolhido. Se calhar, seguiram a minha sugestão. Estou muito bem substituído. O Fernando é o melhor imitador do mundo, como ele há poucos”, assegura.

O músico afirma até que gostaria de ir ao “A Tua Cara…” para cantar, se o convidassem. “Claro que ia, imitava o Jimmy Hendrix ou assim, gente de barba para não ter que rapar a minha”, diz.

Sou jornalista desde sempre, diria. Comecei na rádio, no tempo em que ‘explodiram’ as rádios locais. Mais tarde, o ‘bichinho’ do jornalismo regressou e eu voltei, desta vez para as revistas. Trabalhei 11 anos na Media Capital, na revista Lux. Gosto de artistas: actores, actrizes, cantores, gente da televisão… E gosto de escrever sobre eles, de conhecer o seu outro lado. Sou jornalista de formação, tenho a Carteira de Jornalista desde 1993 e isto é o que faço e farei. Para o resto da vida. Provavelmente.

TRENDING