Segue-nos

Famosos

Luciana Abreu fala sobre as acusações do ex-marido: “Eternos desabafos para se publicitar”

Em entrevista, Luciana Abreu falou do Natal em sua casa e das acusações de Yannick Djaló…

Publicado

em

Luciana Abreu / instagram

Luciana Abreu, faz a capa da revista Caras desta semana com o seu actual marido, Daniel Souza e de quem está grávida de gémeos.

A revista fez uma vista à casa de Luciana Abreu, que mostra as suas decorações de Natal e como refere a publicação deu uma entrevista “em que se falou sobretudo de afectos.”, lê-se.

Mas nem tudo foram palavras bonitas e de amor.

A revista TVMais adianta que a cantora terá abordado o assunto do ex-marido Yannick Djaló que a acusou recentemente de não a deixar ver as filhas.

Luciana terá desmentido as acusações acusando o futebolista de querer chamar a atenção devido ao fracasso da sua carreira futebolística, “São os eternos desabafos do Yannick Djaló para se publicitar e fazer acusações descabidas e inverosímeis, que já deviam ser substituídas por informações de um atleta a trabalhar”.

A cantora assegura ainda que o que se passa é precisamente o contrário, refere que é Djaló que decide quando vai ver as filhas, “É lamentável que só se ouça falar de Yannick Djaló quando ele resolve expiar os seus males pessoais. Lamento que as minhas filhas só falem com o pai quando ele quer e bem entende”, lê-se.

 

Desde 2005 que te conto, todos os dias, as histórias mais frescas sobre música, famosos e redes sociais... Podes ajudar a melhorar este artigo, enviando um email para [email protected]

Famosos

Sofia Aparício recorda episódio de assédio sexual: “Agarrou-me pela cintura e puxou-me para ele…”

A atriz e modelo deu o seu testemunho e deixou uma mensagem importante a todas as mulheres…

Publicado

em

TVI/Site

Na passada sexta-feira, 15 de Fevereiro, Sofia Aparício marcou presença no Jornal das 8, da TVI, para falar sobre assédio sexual.

A atriz foi convidada por José Eduardo Moniz, juntamente com mais duas mulheres, para dar o seu testemunho enquanto vítima.

Depois de admitir terem sido “várias” as situações, a também modelo acrescentou depois:

Eu lembro-me de sentir sempre muita raiva e nojo. Nunca me cheguei a sentir-me humilhada, porque a verdade é que eu acabei sempre por resolver as situações naquela altura”, confessou.

Contando depois com mais pormenor como eram as situações, Sofia afirmou:

“Uma vez, uma pessoa que, hierarquicamente, estaria acima de mim, um diretor do projeto onde eu estava, agarrou-me pela cintura e puxou-me para ele. E como eu não gostava dele e como nunca lhe tinha dado azo ou abertura a isso…”, exemplificando depois: “Ou seja, não é porque eu estou assim vestida que eu estou a pedi-las…”.

O jornalista interpelou-a depois acerca de muitos homens acharem que a roupa, eventualmente, pode ter como objetivo gerar determinados tipos de apetites:

“Pois, não, não, não. Eu visto-me assim, porque eu tenho muito orgulho em ser mulher e gosto muito de me sentir feminina”, reforçou a atriz.

“E a liberdade dos outros acaba exatamente onde a minha começa. E a minha liberdade começa no meu corpo. E eu não admito que ninguém me toque sem a minha autorização. Mas isto acontecia-me mesmo em criança, no metro, em hora de ponta”, lembrou depois, acrescentando: “O assédio sexual, pelo menos na minha geração. Acho que a sociedade está a evoluir, de maneira que as pessoas têm mais respeito umas pelas outras e eu acho que a minha sobrinha já não passou por isso, felizmente. Mas eu lembro-me que deixei de andar de transportes públicos por causa disso, porque era apalpada, não sei dizer de outra maneira…

Confrontada depois com a pergunta: “Como é que resolvia essas situações?”, Sofia Aparício contou:

“Na realidade nunca pensei queixar-me, porque eu resolvia as situações. Duas vezes, dei um estalo, outra vez dei um empurrão e fechei a porta…”.

“Se eu não dou abertura àquela pessoa, se eu não dou confiança, eu não admito, só porque essa pessoa é meu superior hierárquico. Onde eu trabalho não há bem superiores hierárquicos: há o chefes de produção, há os diretores de projeto, mas, pronto, alguém que me poderia contratar e que várias vezes, pelo menos duas vezes, deixei de ser contratada por causa disso. Fui prejudicada profissionalmente, sim…“, admitiu.

A atriz terminou depois: “(…) Eu via, na altura, que aquilo que aquelas pessoas faziam comigo faziam também com outras pessoas que alinhavam. Eu não sei de histórias de pessoas que tenham alinhado obrigadas”.

Vê o video na íntegra aqui.

Continuar a ler

TRENDING