Segue-nos
PUBLICIDADE

Actualidade

Governo confirma novo confinamento geral

PUBLICIDADE

O novo confinamento será semelhante ao anterior vivido em Março e Abril do ano passado, segundo avança a ministra da presidência, Mariana Vieira da Silva…

Publicado

em

Por

Após o término das reuniões do primeiro-ministro, António Costa, com os partidos com assento parlamentar, o Governo confirmou este sábado, 09 de Janeiro, que vai ser implementado um novo confinamento geral. A noticia foi avançada esta tarde pela ministra da presidência, Mariana Vieira da Silva.

PUBLICIDADE

O confinamento será idêntico ao anterior vivido entre Março e Abril de 2020, poderá implicar o encerramento da restauração e do comércio não-alimentar. Porém, o Governo deixa claro que as empresas vão contar com apoios estatais para os trabalhadores, como é o caso do lay-off simplificado.

“Aquilo que faremos é um confinamento muito próximo daquele que aconteceu nos meses de março e abril, garantindo, em princípio, que não fecharemos nada que não tivesse sido fechado. Portanto, a agricultura, a indústria, a distribuição continuarão a funcionar para garantir que os bens essenciais dos portugueses não faltarão”, esclareceu Mariana Vieira da Silva, numa conferencia de imprensa em São Bento.

A ministra da presidência explicou que a decisão de endurecer as restrições de combate à pandemia foram adiadas, para não serem tomadas decisões com base em “informação incompleta”. “Foi por isso que adiámos por uma semana e é fundamental ouvir na terça-feira os peritos”, ressalta.

“Assim que a Assembleia da República aprovar o novo decreto de Estado de Emergência, o Conselho de Ministros reunirá imediatamente para tomar estas decisões”, afirmou a ministra, realçando que “não é necessário ficarmos à espera que saia um novo decreto quando sabemos que, face a estes números, é nossa obrigação protegermo-nos, reduzirmos ao máximo os nossos contactos”.

PUBLICIDADE

Há consenso na decisão de implementar medidas mais restritivas face à situação pandémica. O Governo deve contar com o apoio da maioria parlamentar para implementar o novo confinamento.

COMENTÁRIOS

TRENDING