Segue-nos

Famosos

Georgina visita centro de ajuda a crianças carenciadas: “Foi uma tarde dura, mas muito especial…”

“No final da tarde, o nó na garganta, de tanta emoção, transformou-se em felicidade…”

Publicado

em

A companheira de Cristiano Ronaldo, Georgina Rodríguez teve ontem uma tarde especial, ao fazer uma visita à associação Nuevo Futuro, que se dedica a ajudar crianças carenciadas em Espanha.

No Instagram, a modelo espanhola deu conta da emoção que sentiu ao visitar o centro, e da experiência que teve ao lidar de perto com as crianças:

“Hoje foi uma tarde dura, mas muito especial. Estive num dos centros do Nuevo Futuro, e pude ver com os meus próprios olhos o trabalho que levam a cabo os cuidadores e organizadores. Fiquei encantada com a tarde, e com o lanche com os pequenos”, revelou Georgina num longo texto.

“Ver o meninos emocionados, contentes e felizes ao ver-me entrar… Começaram a abraçar-me, e tive que conter as lágrimas. Tive que ser forte por eles, para que eles me vissem bem, e não tornar as coisas mais difíceis”.

Mais à frente, Georgina revela que o “nó na garganta” que sentiu, se transformou em felicidade:

“No final da tarde, o nó na garganta, de tanta emoção, transformou-se em felicidade, e sai pela porta com um sorriso no rosto. Eles tocaram o meu coração, e eu os levaria a todos para casa…”

Hoy ha sido una tarde dura pero muy especial. He estado en uno de los centros de Nuevo Futuro y he podido ver con mis propios ojos la gran labor que llevan a cabo los cuidadores y organizadores. Me ha encantado compartir una tarde de merendola con los pequeños. Nada más pisar el centro y ver a los niños emocionados, contentos, felices al verme entrar, ellos han comenzado a abalanzarse sobre mí y yo he tenido que contener el llanto. Tenía tantas ganas de llorar… Un nudo en la garganta… Pero he tenido que ser fuerte por ellos, para que ellos me vieran bien y no hacérselo más difícil a los niños o al menos he intentado normalizar la situación. Al finalizar la tarde ese nudo en la garganta, esa emoción se ha convertido en felicidad y salía por la puerta con una sonrisa en mi rostro. Pero siempre le toca a una la fibra sensible. Me han llegado al corazón y me los llevaría a todos a casa, pero claro, ya serían demasiados niños en casa…😅😂👶🏻👶🏻👶🏻👶🏻 Estoy deseando volver para llevar un poquito de amor e ilusión a estos seres de luz. Aunque amor no les falta, están muy bien atendidos y son tan tan tan cariñosos… No han dejado de abrazarme. ❤️ Gracias a Nuevo Futuro por la labor humana que realizan. No hay agradecimiento más grande… Todos podemos ayudar haciendo donaciones, siendo voluntarios, haciéndose socio colaborador, dando apoyo escolar en los hogares (ayudándolos a hacer los deberes y a estudiar), donando productos para los hogares o el rastrillo solidario… Hay muchas maneras de ayudar, cada uno como buenamente pueda. Sé que para muchos puede parecer un texto largo pero tenía muchas ganas de compartir mi experiencia con vosotros. Hoy ha sido un día muy especial que nunca olvidaré. ¡Buenas noches, mi gente, y mucho amor! 🌙✨😇 http://www.nuevofuturo.org

Uma publicação partilhada por Georgina Rodríguez (@georginagio) a

Georgina apelou à ajuda, e revelou queque há muitas formas de ajudar estas crianças:

“Não há maior gratidão… Todos podemos ajudar fazendo doações, sendo voluntários, tornando-se um parceiro colaborador, dando apoio escolar nas casas (ajudando-os a fazer sua lição de casa e estudando), doando produtos para as casas ou o ancinho solidário…

“Foi um dia especial e nunca vou esquecer”, concluiu.

Desde 2005 que te conto, todos os dias, as histórias mais frescas sobre música, famosos e redes sociais... Podes ajudar a melhorar este artigo, enviando um email para [email protected]

Famosos

Sofia Aparício recorda episódio de assédio sexual: “Agarrou-me pela cintura e puxou-me para ele…”

A atriz e modelo deu o seu testemunho e deixou uma mensagem importante a todas as mulheres…

Publicado

em

TVI/Site

Na passada sexta-feira, 15 de Fevereiro, Sofia Aparício marcou presença no Jornal das 8, da TVI, para falar sobre assédio sexual.

A atriz foi convidada por José Eduardo Moniz, juntamente com mais duas mulheres, para dar o seu testemunho enquanto vítima.

Depois de admitir terem sido “várias” as situações, a também modelo acrescentou depois:

Eu lembro-me de sentir sempre muita raiva e nojo. Nunca me cheguei a sentir-me humilhada, porque a verdade é que eu acabei sempre por resolver as situações naquela altura”, confessou.

Contando depois com mais pormenor como eram as situações, Sofia afirmou:

“Uma vez, uma pessoa que, hierarquicamente, estaria acima de mim, um diretor do projeto onde eu estava, agarrou-me pela cintura e puxou-me para ele. E como eu não gostava dele e como nunca lhe tinha dado azo ou abertura a isso…”, exemplificando depois: “Ou seja, não é porque eu estou assim vestida que eu estou a pedi-las…”.

O jornalista interpelou-a depois acerca de muitos homens acharem que a roupa, eventualmente, pode ter como objetivo gerar determinados tipos de apetites:

“Pois, não, não, não. Eu visto-me assim, porque eu tenho muito orgulho em ser mulher e gosto muito de me sentir feminina”, reforçou a atriz.

“E a liberdade dos outros acaba exatamente onde a minha começa. E a minha liberdade começa no meu corpo. E eu não admito que ninguém me toque sem a minha autorização. Mas isto acontecia-me mesmo em criança, no metro, em hora de ponta”, lembrou depois, acrescentando: “O assédio sexual, pelo menos na minha geração. Acho que a sociedade está a evoluir, de maneira que as pessoas têm mais respeito umas pelas outras e eu acho que a minha sobrinha já não passou por isso, felizmente. Mas eu lembro-me que deixei de andar de transportes públicos por causa disso, porque era apalpada, não sei dizer de outra maneira…

Confrontada depois com a pergunta: “Como é que resolvia essas situações?”, Sofia Aparício contou:

“Na realidade nunca pensei queixar-me, porque eu resolvia as situações. Duas vezes, dei um estalo, outra vez dei um empurrão e fechei a porta…”.

“Se eu não dou abertura àquela pessoa, se eu não dou confiança, eu não admito, só porque essa pessoa é meu superior hierárquico. Onde eu trabalho não há bem superiores hierárquicos: há o chefes de produção, há os diretores de projeto, mas, pronto, alguém que me poderia contratar e que várias vezes, pelo menos duas vezes, deixei de ser contratada por causa disso. Fui prejudicada profissionalmente, sim…“, admitiu.

A atriz terminou depois: “(…) Eu via, na altura, que aquilo que aquelas pessoas faziam comigo faziam também com outras pessoas que alinhavam. Eu não sei de histórias de pessoas que tenham alinhado obrigadas”.

Vê o video na íntegra aqui.

Continuar a ler

TRENDING