Animais

Gato “chora” sempre que não está ao colo, e os membros do abrigo tiveram que usar a imaginação

Os gatos são, muitas vezes, conhecidos por serem anti-sociais. Mas não é, de todo, o caso de Dougie. Ele adora abraços e mimos… A toda a hora, literalmente!

E não é nada tímido na hora de ‘exigir’ o que quer. Quando este gato de 15 anos chegou ao abrigo Animal Refuge League of Greater Portland (ARL), no início de Junho, encontrava-se num estado de saúde bastante débil.

A sofrer de Doença Inflamatória Intestinal – uma patologia que constitui um grupo de distúrbios gastrintestinais crónicos e idiopáticos, causados pela infiltração de células inflamatórias normais na mucosa do trato gastrintestinal – os membros do abrigo tiveram de trabalhar em turnos para se certificarem de que Dougie tinha todo o tratamento que tão desesperadamente precisava.

Depois de alguns meses de tratamento, Dougie ficou, finalmente, forte e saudável o suficiente para que ficasse disponível para adoção. Por essa altura, todos os membros do abrigo estavam, já, familiarizados com o seu adorável truque.

“Ele é incrivelmente social e adora pessoas. Adora estar rodeado de pessoas e mia sempre que quer atenção e afeto”, refere Jeana Roth, diretora do abrigo, em declarações ao The Dodo.

A necessidade de Dougie em ter de ser, constantemente, agarrado e pegado ao colo, causava, na verdade, um certo incómodo aos membros da organização, que tinham de parar o que estavam a fazer para lhe pegarem ao colo ou para ouvirem, simplesmente, o seu doce miar… “O Dougie tem um miar muito persistente quando quer atenção. Se ele não tinha o que queria, na altura em que queria, ele fazia questão que todos soubéssemos”, acrescenta a responsável do abrigo.

Quando chegou a altura de mudar Dougie para o andar onde se colocam todos os animais para adoção, a equipa do abrigo teve uma ideia para mostrar a personalidade peculiar de Dougie: divulgaram uma imagem na sua página de Facebook, onde Dougie surge num suporte para bebes BabyBjörn, usado por um dos seus favoritos membros da equipa!
“Quando não está ao colo, o miar do Dougie consegue ouvir-se a milhares quilómetros… Eu diria a galáxias de distância, mesmo! Portanto, decidimos que um BabyBjörn seria a solução ideal para que o Robert conseguisse segurar, tanto o Dougie como o seu emprego, de uma forma permanente! E achamos que é a coisa mais adorável que já vimos….”, pode ler-se no post.

Os comentários não se fizeram tardar. A comunidade online adorou a ideia e os gostos e as partilhas surgiram num ápice! Contudo, Dougie está longe de se interessar em tornar-se famoso. O seu maior interesse, agora, é ser feliz ao lado da sua nova dona, a assistente social, Ashley Perkins.

“Eu estava à procura de um amigo para o meu gato, Jax, e encontrei o Dougie. Quando vi a sua idade e a sua personalidade, percebi logo que seria o gato ideal para trazer para casa”, diz Ashley Perkins, em declarações ao The Dodo.

Ashley viajou até Dougie, conheceu-o e apaixonou-se logo por ele, levando-o para casa no dia seguinte, embrulhado numa manta, onde ele, de imediato se enroscou…

Instalado, já, na sua nova casa, em Springvale, em Maine, nos Estados Unidos, Dougie continua a exigie toda a atenção do mundo, seja de humanos ou dos seus pares – neste caso, do outro gato da casa! “O Dougie e o Jax já se dão lindamente, dão imensos beijinhos e brincam muito. O Dougie acorda-me, todos os dias, para que lhe faça festas e para que lhe vá preparar o pequeno almoço… Se eu não o fizer, ele não vai parar de miar, relembrando-me que tenho de o fazer!”, refere Ashley.

Apesar de continuar a tomar medicação todos os dias, ainda na sequência da doença intestinal, Dougie está agora a desfrutar do carinho e da atenção da sua nova dona. Felizmente, os sentimentos são mútuos: “Adoro passar tempo com o meu novo amigo. Ele é um animal pleno de amor, é impossível não gostar dele!”, confessa Ashey.
Dougie continua em contacto com a equipa do antigo abrigo. A equipa procura manter-se informada do estado de saúde do seu amigo ‘velhote’.

Com todos os anos maus por que passou, Dougie tem agora, finalmente, uma casa a que pode chamar sua.
“Sempre que posso, levo gatos séniores para casa. Eles têm tanto amor para dar e precisam tanto ou mais de amor do que os mais novos… E sinto que, muitas vezes, é-lhes mais difícil encontrar uma casa. Mas eles merecem passar o resto dos seus dias a serem amados e bem cuidados. Foi por isso que quis trazer o Dougie, para o mimar, porque ele merece!”, finaliza Ashley.

COMENTÁRIOS

To Top