Segue-nos
PUBLICIDADE

Familia

Deixou crescer o cabelo para doar a crianças vítimas de cancro, foi agora diagnosticado com a doença

PUBLICIDADE

Publicado

em

Por

Quando Torrin Breneman soube o que era o cancro, ainda na estava na escola primária, e quis fazer algo para ajudar os meninos que sofriam da doença…

PUBLICIDADE

Desde então, o rapaz de 12 anos deixou crescer o cabelo e cortou-o há pouco tempo, doando-o à instituição de solidariedade Wigs For Kids.

Em declarações ao site GoodHousekeeping, o pai, Jason Breneman, refere que foram várias as vezes que o filho foi gozado pelo tamanho do seu cabelo, “sempre que íamos a algum lugar público”.

Ainda assim, Torrin manteve-se sempre fiel ao seu objetivo! Não tendo dinheiro ou recursos para doar, a única coisa que tinha era o seu cabelo.


Foi quando o inimaginável aconteceu… Torrin foi diagnosticado, na semana passada, com Linfoma Hodgkin Nivel 4, um tipo de cancro do sistema linfático. É um tipo de cancro mais comum em jovens adultos e em adultos a partir dos 55 anos.

PUBLICIDADE

Em crianças, a taxa de incidência, situa-se apenas nos 10/15%, segundo dados da American Cancer Society.

A família Breneman, em Detroit, ficou em estado de choque quando soube, pela equipa médica que o cancro estava espalhado pelo sangue, rins, fígado, ossos e estômago. O pai referiu que, há poucos dias, o filho estaria totalmente livre de cancro… Uma tosse que não passava foi a razão da ida ao médico. Depois de alguns exames, o pequeno Torrin ficou, de imediato, internado, tendo sido diagnostico com um cancro em estado grave, precisando de tratamento imediato.

PUBLICIDADE

Neste momento, encontra-se em tratamentos intensivos de quimioterapia e, seduno o pai, “não se consegue, sequer, manter deitado”. Pão é o único alimento que é capaz de ingerir. “Eu consigo medir o meu sono em segundos, não em dias”, referiu o pai, refletindo, desta forma, o quão frágil está a respiração do filho…

Carrie Breneman Chmura, a mãe, tem tentado manter-se positiva. Segundo a própria, pode ser essa a chave do sue tratamento: não ver tristeza e sofrimento nos seus olhos.

Apesar dos últimos meses terem sido incrivelmente duros para toda a família, Torrin saiu ontem da unidade de Cuidados Intensivos de Pediatria.

Os médicos falam em dar-lhe alta brevemente, atribuindo-lhe uma percentagem de 70 a 80% de hipóteses sobrevivência. Isto, segundo Jason, o pai, é um avanço grande perante o primeiro diagnóstico que foi feito! A quimioterapia que estava estimada para durar alguns anos, prevê-se que dure entre 6 a 8 meses, apenas, pela forma positiva como Torrin está a responder à medicação!

“Ele tem lutado tanto! Ele tem conseguido curar-se muito melhor psicologicamente do que eu alguma vez pude prever…”

PUBLICIDADE

A família tem recebido um apoio incansável de toda a comunidade e amigos. Há, no entanto, duas pessoas que se destacam, para os pais de Torrin, como verdadeiros “anjos: Chef Robert Nahra, o chefe de Jason, o pai.

E o professor de Torrin, Tammy Scholz. A tia, Rachel Timpe, merece, também, especial referência, pelo facto de ter criado a página de suporte, onde já conseguiu angariar mais de 8 mil dólares (cerca de 6800 euros).

A Rainbow Connection (https://www.facebook.com/Rainbowconnectionmichigan/), uma organização sem fins lucrativos que ajuda crianças com cancro, merece, também, especial referência por ter ajudado a família. A organização prometeu, até, a Torrin que o levaria a ver a competição WWE – de que é super fã! – assim que os médicos o permitissem.

“O estado de espírito do Jason tem estado em baixo… Muito em baixo… Mas, assim que a Rainbow Connection lhe prometeu isso, sorriu logo e só de lhe ver um sorriso no rosto, vale ouro!”, referiu o pai.

PUBLICIDADE
Clica para comentar

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

COMENTÁRIOS

TRENDING