Segue-nos

Famosos

Com mais de 40 anos de carreira, Herman José ainda não pensa na reforma, mas…

“Não sou eterno nem tenho a pretensão de ser omnipresente…”, disse à Hiper FM

Publicado

em

Herman José / Facebook

Com 65 anos de idade e mais de 40 de carreira, é nos palcos que Herman José se sente mais feliz. Mas nem sempre foi assim.

Quando comecei só fazia espectáculos para pagar as contas. Andar na estrada era insuportável“, contou, em entrevista exclusiva à Hiper FM.

Nos anos 90 parou com os espectáculos ao vivo e dedicou-se apenas à televisão. Hoje – e de há muitos anos a esta parte – ainda é um dos nomes fortes da televisão portuguesa.

Mas, há 12 anos, voltou à estrada e aos palcos:

Foi um regresso pelas razões certas“, diz. “Começou a ser um prazer muito grande fazer espectáculos ao vivo. Já não é um sacrifício. Faço isto por paixão e faço sempre por deixar um rasto positivo nas pessoas”, acrescentou na entrevista que concedeu à Hiper FM, no final de mais um espectáculo.

E a televisão, que lugar ainda ocupará na vida do artista?

Desde setembro de 2016, apresenta “Cá Por Casa”, na RTP1 e, garante, “o programa e a televisão ocupam um lugar muito importante na minha vida”.

Mas a televisão já não é o centro de tudo:  “Continuo a fazer televisão com muito prazer na RTP. Mas a televisão, na minha lógica de vida, é como se fosse um pequeno part-time, ao contrário do que se passava antes, quando era o centro da minha vida“, afirma.

Esteve 10 anos fora da RTP, a “sua” casa. Nesse período, passou pela SIC durante 9 anos, e pela TVI.

“Lembro-me que quando saí da RTP, houve muita gente que ficou zangada comigo, inclusive o público”, revelou.

Uma zanga já ultrapassada, uma vez que voltou “a casa” em abril de 2010. No que diz respeito ao futuro, Herman José assegura que ainda não pensa na reforma, mas…

“Não tenho a pretensão de ser um apresentador omnipresente. Não sou eterno, mas vejo-me como um veterano a fazer entrevistas na RTP2, ao fim da noite”, diz, numa espécie de desejo antecipado.

Quanto à sua longevidade no meio audiovisual, o apresentador compara-se um pouco a Manuel Luís Goucha e fala em teimosia e em obsessão saudável.

“Em qualquer profissão artística, só ficam os teimosos, eu acho. Eu e o Manuel Luís Goucha tivemos a capacidade de nos irmos adaptando aos tempos e somos, se calhar, um bocadinho obsessivos na necessidade de manter a chama viva.”

E a verdade é que, ao que parece, para Herman José, a “chama” manter-se-à viva ainda durante uns bons anos.

Sou jornalista desde sempre, diria. Comecei na rádio, no tempo em que ‘explodiram’ as rádios locais. Mais tarde, o ‘bichinho’ do jornalismo regressou e eu voltei, desta vez para as revistas. Trabalhei 11 anos na Media Capital, na revista Lux. Gosto de artistas: actores, actrizes, cantores, gente da televisão… E gosto de escrever sobre eles, de conhecer o seu outro lado. Sou jornalista de formação, tenho a Carteira de Jornalista desde 1993 e isto é o que faço e farei. Para o resto da vida. Provavelmente.

COMENTÁRIOS

Recomendamos




Recomendamos




TRENDING