Segue-nos
PUBLICIDADE

Actualidade

Centeno recusa avançar data para desbloquear verba para ala pediátrica do São João

O ministro das Finanças garantiu apenas que o investimento da ala pediátrica do Hospital de São João, no Porto, “vai avançar”.

Publicado

em

Por

Centeno recusa avançar data para desbloquear verba para ala pediátrica do São João

Lisboa, 11 abr (Lusa) — O ministro das Finanças escusou-se hoje a revelar quando será concretizado o investimento da ala pediátrica do Hospital de São João, no Porto, garantindo apenas que “vai avançar”.

“Hoje, já não é uma questão. O investimento na ala pediátrica no São João é uma garantia porque vai avançar”, disse Mário Centeno aos deputados das comissões parlamentares da Saúde e das Finanças que hoje ouviram o governante a pedido do CDS e do PSD, sobre o setor da saúde.

Questionado várias vezes por diversos deputados sobre a data em que as Finanças irão libertar os 22 milhões de euros necessários para a construção da ala pediátrica do Hospital de São João, Mário Centeno limitou-se a referir que “há um pacote de investimentos que está a ser trabalhado entre o Ministério da Saúde e o Ministério das Finanças”, que inclui o investimento da ala pediátrica no São João.

“Sabemos há muito tempo e outros também sabiam, mas nada fizeram”, disse, referindo-se ao arrastar do problema nesta unidade de saúde, que em 2015 recebeu a promessa de inauguração, sem que alguma vez avançasse.

O ministro disse por diversas vezes que o problema naquela unidade se arrasta há cerca de dez anos.

Mário Centeno acusou o anterior governo de ter lançado, por duas vezes, a primeira pedra da unidade pediátrica daquele hospital no norte, sem planeamento financeiro para aquela obra.

“Aquela pedra não levava financiamento atrás e, mesmo quando o primeiro-ministro foi outra vez ao São João, voltou sem dinheiro e, depois de dois lançamentos falhados, a obra não podia ser feita”, disse.

A falta de condições de atendimento e tratamento de crianças com doenças oncológicas foi denunciada por pais de crianças doentes que são atendidas em ambulatório e também na unidade do ‘Joãozinho’, para onde as crianças são encaminhadas quando têm de ser internadas no Centro Hospitalar de São João, concelho do Porto.

Na terça-feira, o presidente do Hospital de São João afirmou que as condições do atendimento pediátrico são “indignas” e “miseráveis”, lamentando que a verba para a construção da nova unidade ainda não tenha sido desbloqueada.

Perante esta situação, o Presidente da República garantiu hoje que “há sensibilidade do Governo” para resolver a situação da unidade pediátrica de oncologia do Hospital de São João, Porto, e que este irá contribuir para resolver o problema.

“Do que pude apurar, há uma sensibilidade do Governo para enfrentar esse problema e para desbloquear esse problema. É um problema que conheço bem. É um problema que tem os problemas que todos conhecem e que são antigos, mas vieram agora outra vez a público”, disse Marcelo Rebelo de Sousa.

Na próxima quarta-feira, o ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, vai à Comissão Parlamentar da Saúde prestar esclarecimentos sobre esta situação, a pedido do PSD, segundo anunciou o deputado Ricardo Batista Leite.

Para o social-democrata muito ficou por esclarecer, considerando que Mário Centeno “teve hoje o desplante de dizer que não tem uma data concreta” para desbloquear a verba necessária para a obra.

SMM/ARP (PD/PYT) // HB

Lusa/Fim

Clica para comentar

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

TRENDING