Segue-nos
PUBLICIDADE

Familia

Bebé que nasceu com apenas 600 gramas sobreviveu, e tem agora 9 meses

PUBLICIDADE

A mãe, de Liverpool, recebeu até lembranças das pequenas pegadas de sua filha, já que os médicos não esperavam que ela sobrevivesse…

Publicado

em

Uma bebé prematura, cujos pés eram do tamanho de uma moeda de um cêntimo, e nasceu com apenas 600 gramas, foi salva pelos médicos.

PUBLICIDADE

Victoria Bradley, de 37 anos, foi informada de que a sua filha provavelmente morreria depois de nascer em abril.

Se Francesca Bradley-Curran, nascesse 48 horas antes, ela não teria sido assistida por médicos.

De acordo com a lei britânica atual, os bebés que nasçam antes do limite do aborto não são considerados ‘viáveis’, devido às suas baixas taxas de sobrevivência.

No entanto, nove meses depois, a menina “milagre” lutou contra uma meningite e uma septicemia, para desafiar todas as expectativas.

PUBLICIDADE

A mãe, de Liverpool, recebeu até lembranças das pequenas pegadas de sua filha, já que os médicos não esperavam que ela sobrevivesse.

“A Francesca tinha 600 gramas, e demorou 11 minutos até conseguir respirar. Ela era tão pequena que os pés eram do tamanho de um penny, e nem sequer tinha sobrancelhas ou pestanas. ”

Mas agora Francesca está bem, e teve alta hospitalar apenas 17 semanas depois. Hoje tem 9 meses.

PUBLICIDADE

A Sra. Bradley disse ao Daily Mail: “É óptimo ter a minha filha finalmente em casa. É assustador pensar que se ela tivesse sido nascido apenas dois dias antes, eles não a teriam salvo.”

Quando nasceu, as enfermeiras permitiram que a Sra. Bradley visse a filha durante apenas três horas e meia, antes a levar para a incubadora.

Actualmente os abortos no Reino Unido são realizados antes da 24ª semana de gravidez. Só depois disso o feto é considerado humano.

No entanto, em certas circunstâncias podem ainda ser realizados abortos após este período, se houver um risco para a mãe ou o bebé.

Esta sincronização coincide com uma outra orientação em termos de viabilidade de um bebé depois de eles nascerem. Para os nascidos antes das 24 semanas, os hospitais não são obrigados a intervir e revitalizar, uma vez que não são considerados ‘viáveis’.

PUBLICIDADE

Apaixonado por rádio e redes sociais, trago-te todos os dias as histórias mais inspiradoras que encontro na web... Podes ajudar a melhorar este artigo, enviando um email para pedrolopes@hiper.fm

Clica para comentar

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

COMENTÁRIOS

TRENDING