Segue-nos

Famosos

António Bravo recorda relação tóxica e revela: “Entrei numa depressão profunda…”

O ex-concorrente do “Big Brother” recordou um dos momentos mais difíceis da sua vida…

Publicado

em

Por

António Bravo recorda relação tóxica e revela: “Entrei numa depressão profunda…”
Reprodução Redes sociais

Nesta segunda-feira, dia 24 de abril, António Bravo foi um dos entrevistados de Júlia Pinheiro no programa “Júlia, da SIC. O convidado falou sobre a sua experiência no reality show “Big Brother”, da TVI, mas também sobre aspetos da vida pessoal.

Durante a entrevista, António Bravo acabou por recordar uma relação tóxica que viveu e que foi o motivo de ter emigrado para a Austrália: “Apaixonei-me muito. Correu bem no princípio. Entrei ali de rompante, ‘bora viver isto e estou nem aí para o que vão achar. Em três dias, contei aos meus pais. (…) Eu via estrelas. Acho que não me sentia feliz há tanto tempo. Pela primeira vez, não precisava de capa nenhuma. Estava a começar a viver a minha verdade”, começou por contar, revelando ainda que chegou a viver com este homem.

O convidado ainda revelou detalhes do início da relação: “Quando começou, era uma paixão assolapada e os amigos da pessoa diziam: ‘Nunca o vimos assim’. E, de repente, a pessoa com quem eu estava era mais velha e veio com uma bagagem de trás que não quis lagar lá atrás e que não era muito boa”, afirmou, referindo-se a “adições, personalidade complicada”.

No seguimento deste assunto, António Bravo revelou que só soube da adição de drogas muito mais tarde, porém considerou que tinha o papel fundamental de ajudar o ex-companheiro: É a tal coisa: Hoje é assim, mas amanhã vai ser diferente e comigo vai ser diferente. Chega a um ponto em que mentalizamo-nos daquilo, sabia que ia ser muito complicado, mas não ia desistir. Já tinha visto tantos a desistir daquela pessoa que eu não queria ser mais um”, recordou.

“Deixei de viver para mim para viver para aquela pessoa, é como se me tivesse anulado. (…) Estava muito vidrado naquilo e deixei de existir durante muito tempo”, confessou.

Foi neste momento da sua vida que desabou numa depressão: “Houve um dia em que entrei numa depressão profunda e rebentei. É chegar a um ponto em que acordamos e, literalmente, pensamos: ‘Isto já não faz sentido estar aqui, já não me reconheço a mim próprio’. Desta vez, já nem me apetecia estar com os meus amigos, não conseguia estar feliz”, explicou.

António Bravo admitiu que pensou em dar fim à sua vida, mas que este pensamento foi ‘rápido’: “’António, esquece! Tens 27 anos, és um puto, tens uma vida pela frente! Consegues dar a volta, isto não vai acabar contigo’. No dia a seguir, fui inscrever-me no ginásio, fui gastar energia”.

De forma a melhorar a sua saúde mental, decidiu morar “o mais longe possível”, sendo que juntou muito dinheiro a trabalhar no Algarve para depois emigrar para a Austrália: “Foi um corte em que tive de me reestruturar, reaprender a lidar com as emoções outra vez. O peso que senti quando entrei no avião, para mim, foi um recomeço, mas a saber que era só um passo, mas a saber que tinha muitos mais para dar”,  afirmou.

“Tive mesmo de ir. Às vezes, acho que é o mais fácil e o mais importante fugir e começarmos do zero, com pessoas novas à nossa volta, sem pensarmos tanto sobre o que deixámos para trás”, confessou, revelando ainda que esteve dois anos na Austrália a trabalhar num hotel.

Veja aqui a entrevista.

COMENTÁRIOS

TRENDING