Animais

Adotou chihuahua de 17 anos, quase a morrer, para que fosse amada pelo menos por 24 horas

Heather Hayes esperava que esta cadela Chihuahua, que estava num abrigo, muito velha, e muito doente, vivesse apenas mais 24 horas.

Como gerente de marketing da Asheville Humane Society na Carolina do Norte, ela frequentemente passava pelo canil.

Num desses dias, Hayes passou pelo canil, e a cadela, que tremia estava a olhar para ela.

Hayes abriu o trinco.

Tatuagem de Fénix parece voar...

“A equipa do abrigo não sabia se ela era até mesmo adotável, porque  a sua saúde era tão má”, contou ela ao The Dodo. “Eu disse: Deixem-me levá-la para casa por uma noite, e já que temos que deixá-la morrer, eu quero que ela esteja numa casa. Pelo menos ela vai sentir-se amada por 24 horas.”

Mas parece que a infusão súbita de amor, fez com que a cadela velhinha, e supostamente a morrer, ganhasse vida. Ela ainda estava lá no dia seguinte.

E se era para ficar por perto, ia precisar de um nome. “Ela foi entregue no abrigo como ‘Jersey Girl'”, explica Hayes. “Nós decidimos que precisávamos de lhe dar um nome melhor, Josie … Jazzy … e o meu marido disse, ‘Por que não a chamamos de Jay-Z?’

“E então ela olhou diretamente para ele quando ele disse isso.É por isso que ela tem um nome de menino mesmo que ela seja uma menina.”

A vida, ao que parece, não estava para terminar para Jay-Z. Ela encontrou um novo patamar com os seus novos irmãos, todos eles antigos cães de abrigo aproveitando ao máximo as novas vidas. Já passaram quatro maravilhosos anos.

“Jay-Z foi o primeiro cão sénior que adotei”, diz Hayes. “Depois que a adotámos, nós levamos quatro cães mais velhos e especiais para casa, e agora, Jay-Z tem uma familia de cães Chihuahuas séniores.”

“Ela tem uma vontade incrível de viver, mais do que qualquer animal que eu já conheci”, diz Hayes.

Os meses vão passando, e Hayes já levou a cadela em inúmeras aventuras. Ao menos, com diz, “quando morrer, vai levar muito de nós com ela… “

To Top